DISNEY: PARE DE PROMOVER A AGENDA LGBTQ

Petição dirigida ao CEO da Disney

 

DISNEY: PARE DE PROMOVER A AGENDA LGBTQ

DISNEY: PARE DE PROMOVER A AGENDA LGBTQ

0500.000
  306.782
 
306.782 assinado. Vamos conseguir 500.000!

Como Robert Chapek já não é o CEO da Disney, a partir de agora dirigimos a campanha ao novo CEO Bob Iger.

A Walt Disney que conhecíamos e da qual gostávamos está praticamente morta.

Os globalistas e a esquerda radical estão procurando preparar as crianças para adotar um estilo de vida LGBTQ+ radical, e a Disney está ajudando ativamente a fazê-lo.

Em um vídeo vazado de uma reunião interna da Disney, a presidente corporativa da empresa, Karey Burke, se gabou abertamente de seus planos de introduzir cada vez mais doutrinação LGBTQ+ para crianças pequenas.

A Disney é o novo instrumento político da agenda LGBTQ+. E famílias preocupadas, como a sua e a minha, são seus oponentes.

O mais irônico é que eles ainda querem e precisam do seu dinheiro. É por isso que precisamos mobilizar nosso boicote agora. É mais do que apenas mais um boicote, mas o poder por trás de nossa ação política.

A nova investida da Disney no ativismo revolucionário LGBTQ+ ocorreu depois que o governador do estado da Flórida, Ron DeSantis, aprovou uma lei para proteger crianças de dez anos ou menos da doutrinação em teoria de gênero por professores de esquerda nas escolas.

Como resultado, o CEO da Disney, Robert Chapek, e alguns de seus funcionários mais ativos lideram o ataque, e não têm vergonha de esconder seus objetivos.

Os aliados da Disney, a mídia de esquerda, rapidamente os aplaudiram por incluir um beijo gay no que muitos esperam ser o filme mais lucrativo do ano: Lightyear.

É claro que a promoção da perversão da Disney não é novidade para a CitizenGO, embora o resto do mundo esteja apenas começando a perceber isso.

Em 2019, mais de 1 milhão de pais e cidadãos preocupados em todo o mundo assinaram nossa petição depois que a Disney organizou seu primeiro evento Gay Pride em Paris, França. Com o total de assinaturas atingindo rapidamente a marca de 1,5 milhão, os executivos da Disney pegaram o amado conto de fadas Cinderela no show Muppet Babies e transformaram a princesa em um personagem masculino que veste um vestido, fingindo ser uma mulher.

Nossas campanhas têm sido a voz principal para as famílias que estão cansadas da imposição da agenda política de ideólogos de gênero e ativistas LGBTQ radicais por meio da Disney, e isso fez com que os investidores começassem a se preocupar, pois sabiam que a Disney não poderia se dar ao luxo de impedir as famílias de visitar seus parques e de desfrutar de seus produtos.

É hora de aumentar a pressão. A Disney ainda depende das famílias para a grande maioria de sua receita, então junte-se a mim para atingi-los onde dói. Assine a petição para o CEO da Disney, Robert Chapek, dizendo que você vai parar de comprar produtos da Disney e de consumir seus serviços de streaming, a menos que eles acabem com a preparação e doutrinação das crianças.

E assim que assinar, encaminhe este e-mail para seus amigos e familiares. Será necessária uma tempestade de indignação de todo o mundo para acabar com a loucura da Disney.

0500.000
  306.782
 
306.782 assinado. Vamos conseguir 500.000!

Complete your signature

Assine esta petição agora!

 
Please enter your email
Please enter your first name
Please enter your last name
Please enter your country
Please enter your zip code
Por favor, escolha uma opção:
Processamos a sua informação de acordo com a nossa política de Termos e Privacidade

Peço à Disney e à Pixar que acabem imediatamente com a doutrinação LGBTQ+ em seus produtos. As crianças não devem ser alvo de sua agenda política, especialmente a partir dos 4 anos.

Até que acabem com essa prática de aliciamento e doutrinação LGBTQ+, vou parar de comprar produtos da Disney e de consimir seus serviços de streaming.

[Seu nome]

Peço à Disney e à Pixar que acabem imediatamente com a doutrinação LGBTQ+ em seus produtos. As crianças não devem ser alvo de sua agenda política, especialmente a partir dos 4 anos.

Até que acabem com essa prática de aliciamento e doutrinação LGBTQ+, vou parar de comprar produtos da Disney e de consimir seus serviços de streaming.

[Seu nome]