PELOS VERDADEIROS DIREITOS HUMANOS NA ONU

Petição dirigida ao secretário geral da ONU

 

PELOS VERDADEIROS DIREITOS HUMANOS NA ONU

0100.000
  81.697
 
81.697 pessoas já assinaram esta petição. Ajude-nos a conseguir 100.000 assinaturas.

PELOS VERDADEIROS DIREITOS HUMANOS NA ONU

A última Assembleia Geral das Nações Unidas aprovou a resolução A / RES / 74/151 (parágrafo 12), onde sugere que o Secretário-Geral consulte os Estados membros e ONGs sobre como podem fortalecer o trabalho em direitos humanos por meio da cooperação internacional. e sob os princípios da não seleção, imparcialidade e objetividade.

O secretário-geral recolherá todas as propostas recebidas até 1° de março com o objetivo de apresentar um relatório na 70ª Assembleia Geral.

Esta é a nossa oportunidade de dizer às Nações Unidas o que pensamos:

  • Defenda o direito à vida. É o primeiro dos direitos e está incluído tanto na Declaração Universal dos Direitos do Homem como na Carta dos Direitos Sociais e Políticos.
  • Defenda a família como célula básica da sociedade. Isso implica uma visão transversal tanto das políticas quanto do marco legal para atuar na perspectiva da família. Também envolve a proteção de casamentos em crise por meio de serviços de mediação. E não considerar o casamento como uma realidade de convivência que não garante mudança geracional ou ambiente adequado para a socialização.
  • Defenda a liberdade. A ausência de medidas contra ditaduras como a da Venezuela que perturbam os direitos humanos e a passividade da ONU frustram as expectativas dos cidadãos e a confiança nas instituições internacionais.

Recentemente, a Organização das Nações Unidas se congratulou pela aprovação do aborto na Argentina. É exatamente o caminho que não deve ser percorrido: para uma instituição internacional que defenda a violação do primeiro dos direitos é tudo menos fortalecer a defesa dos direitos humanos e o caminho mais direto para o descrédito institucional e o descontentamento do cidadão.

+ Letter to:

Assine esta petição agora!

 
Please enter your first name
Please enter your last name
Please enter your email
Please enter your country
Please enter your zip code
Por favor, escolha uma opção:
Procesamos seus dados pessoais de acordo com nossas Política de privacidade e nossos Termos de uso.Ao assinar você aceita os termos de uso da CitizenGO e sua política de privacidade, e aceita receber mensagens de e-mail sobre nossas campanhas. Você pode cancelar seu cadastro na lista a qualquer momento.

Propostas para fortalecer os direitos humanos

Escrevo-lhe em resposta ao seu pedido de ideias para fortalecer o trabalho das Nações Unidas sobre os direitos humanos, de acordo com a resolução A / RES / 74/151 (parágrafo 12) da última Assembleia Geral.

Observo com preocupação que tanto as Nações Unidas como suas agências de População e Mulheres e o Alto Comissariado para os Direitos Humanos dedicam esforço, energia e orçamento para promover uma legislação permissiva com o chamado “direito” ao aborto.

Eliminar uma vida humana inocente é claramente violar o mais alto direito humano: o direito à vida reconhecido no art. 3 da Declaração Universal dos Direitos Humanos e no preâmbulo da Convenção Universal sobre os Direitos da Criança.

Nem ajuda a mulher que enfrenta uma gravidez difícil ou inesperada. A solução mais digna para a mulher e para a vida que carrega no ventre é o apoio social para poder seguir em frente. O aborto não é uma solução válida e seus efeitos físicos e psicológicos para as mulheres são muito preocupantes.

Também observo com preocupação como as Nações Unidas apostam com entusiasmo na chamada “orientação sexual e identidade de gênero” e na chamada “educação sexual integral”. É uma agenda homossexualista que, sob o pretexto de evitar a discriminação e a homofobia, busca a doutrinação na ideologia de gênero, a qualificação do casamento para uniões homossexuais, a adoção de homossexuais e a 'mudança' de sexo registrado.

Claro, condenamos a violência e a discriminação em razão da condição sexual, mas "matrimonializar" as uniões homossexuais não significa "ampliação de direitos", mas sim desvalorização do casamento, um pilar da família que por sua vez é a célula básica da sociedade.

Por outro lado, doutrinar nossos alunos na ideologia de gênero viola o direito dos pais de educar seus filhos de acordo com seus princípios e valores, um direito contido na Declaração Universal dos Direitos Humanos (Art. 26.3)

Além disso, dar um filho para adoção de um casal gay para realizar seu sonho de paternidade contradiz o princípio da adoção, que nada mais é do que dar um pai e uma mãe aos quais eles não têm, buscando o melhor interesse da criança.

No entanto, sinto falta de um esforço das Nações Unidas para promover políticas e legislações com uma perspectiva familiar, algo essencial se assumirmos que a família é a instituição social e humana mais valorizada, uma fonte de integração e cuidado, uma escola de solidariedade e local privilegiado de socialização.

Finalmente, o fato de ditaduras como Cuba ou China fazerem parte do Conselho de Direitos das Nações Unidas não ajuda a instituição a ter um papel mais ativo na defesa das liberdades em países como a Venezuela, onde os direitos humanos são sistematicamente espezinhados.

Espero que todos esses pontos de vista sejam levados em consideração no relatório que preparará para a 70ª Assembleia Geral.

[Seu nome]

PELOS VERDADEIROS DIREITOS HUMANOS NA ONU

Assine esta petição agora!

0100.000
  81.697
 
81.697 pessoas já assinaram esta petição. Ajude-nos a conseguir 100.000 assinaturas.