MINISTROS DO STF, NÃO MODIFIQUEM O MARCO TEMPORAL