Disney: A minha família não vai ver os filmes LGBTQ+

Bob Chapek, Disney’s CEO

 

Disney: A minha família não vai ver os filmes LGBTQ+

Disney: A minha família não vai ver os filmes LGBTQ+

0500.000
  225.834
 
225.834 assinado. Vamos conseguir 500.000!

 

O testemunho bombástico dos Executivos da Disney e o beijo lésbico no filme Lightyear confirmou o que muitos de nós já sabíamos há muito tempo: A Disney, hoje, é refém dos ativistas LGBTQ+ empenhados em corromper os nossos filhos através da doutrinação. 

Eles não querem saber de tornar os sonhos dos nossos filhos reais, desde que Bob Chapek (o CEO) e a sua equipa estejam a ganhar dinheiro. Mas nós temos o poder de mudar isso. 

A Disney preocupa-se com as receitas provenientes dos seus filmes e produtos... E, na realidade, o filme da Disney 'Lightyear' falhou no seu primeiro fim-de-semana nos cinemas, ganhando 51,7 milhões de dólares nos EUA, longe dos 120 milhões de Toy Story 4 e dos 110 milhões de Toy Story 3. Além disso, as receitas do segundo fim-de-semana caíram 65% (outro novo mínimo). 

Nós, vós e eu, mais milhares de pais em todo o mundo, estamos a ganhar a batalha que a CitizenGO começou contra a Disney há três anos: ao longo de apenas um ano, as ações da Disney caíram quase 50% à medida que as suas produções de inspiração política continuam a desviar o público e a suscitar reações de fãs furiosos. 

Os executivos da Disney estão em pânico e é por isso que precisamos da sua ajuda para avançar AGORA contra a empresa. Imagine o poder que teremos se enviarmos uma promessa maciça ao CEO da Disney, comprometendo-nos a não ver nenhum filme ou espectáculo da Disney ou comprar qualquer produto que promova a ideologia do género. 

Assine o compromisso e diga ao CEO da Disney para parar de poluir as crianças com a doutrinação LGBTQ+, e junte-se hoje à campanha. 

A verdade é que eles pensam que somos 'idiotas'. Chris Evans, o ator que interpreta Lightyear pensa que, aqueles de nós que não estão bem com esta doutrinação são 'idiotas'. 

Antes da queda dos lucros no fim-de-semana de abertura, o presidente da Disney, Karey Burke, disse que gostaria de ver 50% das personagens como LGBTQ+.

Em resposta a vários países que recentemente anunciaram a proibição de Lightyear estar ao cinema devido à sua "violação do padrão de conteúdo mediático do seu país" (em suma, a inclusão da ideologia LGBTQ+), a produtora do filme, Galyn Susman, declarou que o beijo lésbico não seria cortado, acrescentando: 

"É óptimo fazermos parte de algo que está a dar passos em frente na capacidade de inclusão social, mas é frustrante que ainda haja lugares que não estão onde deveriam estar".

Essa arrogância mostra melhor do que tudo que, esta encosta escorregadia não vai acabar bem para a Disney... E vós e eu vamos tomar medidas para evitar que eles se escapem.

A verdade é que a Walt Disney Co. que nós crescemos a conhecer e a amar, está morta. 

A Disney está a tornar-se rapidamente o novo braço político do movimento esquerdista de promoção da agenda LGBTQ+ e da teoria do género para as crianças. O mais insano é... eles ainda querem o seu dinheiro. É por isso que precisamos de mobilizar o nosso boicote agora. É mais do que apenas mais um boicote, mas o poder por detrás da nossa ação política:

Assine a promessa AGORA dirigida a Bob Chapek, CEO da Disney: a minha família não verá os seus filmes nem comprará os seus produtos concebidos para promover a doutrinação LGBTQ+ e para corromper a inocência das crianças.

A nova coragem da Disney no que respeita ao ativismo, vem depois da Florida ter aprovado uma lei para proteger as crianças com 10 anos ou menos de aprenderem a orientação sexual nociva e a doutrinação da teoria do género por parte dos professores corrompidos nas escolas. 

O projeto de lei que provocou a reação da Disney apenas afirma que as crianças desde o jardim-de-infância até à terceira classe não precisam de lições sobre sexo ou pregação de identidade de género quando deveriam estar a aprender o ABC e como somar.

Como resultado, o CEO da Disney Robert Chapek e alguns dos seus funcionários mais vocais lideram a acusação, e não são tímidos em esconder os seus objetivos. Os aliados da Disney, os meios de comunicação de esquerda, aplaudiram-nos rapidamente por terem incluído um casal homossexual "casado" (com um beijo gay) no que muitos esperavam ser o filme mais rentável do ano, o runoff de Toy Story, Lightyear. 

Mas não foi… na verdade fracassou!

E pode contribuir para fazê-los perder receitas a cada minuto - com o CEO Bob Chapek a perder pessoalmente credibilidade e apoio.

Por favor, junte-se a nós para enviar à Disney uma mensagem que não pode ignorar.

A Disney atuará quando o seu resultado final estiver em risco. Temos de nos juntar para lhes mostrar que ser agentes da doutrinação LGBTQ+ em todo o mundo, transformando os seus filmes em propaganda, vem à custa de prejudicar os nossos filhos e corromper a sua inocência.

Por favor, assine o compromisso AGORA de enviar uma mensagem clara à empresa Disney - pare de promover o ativismo político da agenda LGBTQ+ da esquerda radical ou perca o nosso dinheiro.

Refereâncias: 

Lightyear é cinema a serviço da ideologia, diz padre espanhol, 

https://www.acidigital.com/noticias/lightyear-e-cinema-a-servico-da-ideo...

"Buzz Lightyear" chega a Portugal, mas já foi banido de 14 países por causa de beijo gay, 

https://magg.sapo.pt/cultura/artigos/buzz-lightyear-chega-a-portugal-est...

Beijo gay em lightyear reflete mudança na orientação da Disney,

https://www.gazetadopovo.com.br/vozes/luciano-trigo/beijo-gay-em-lightyear-reflete-mudanca-de-orientacao-da-disney/

 
0500.000
  225.834
 
225.834 assinado. Vamos conseguir 500.000!

Complete your signature

Assine esta petição agora!

 
Please enter your email
Please enter your first name
Please enter your last name
Please enter your country
Please enter your zip code
Por favor, escolha uma opção:
Processamos a sua informação de acordo com a nossa política de Termos e Privacidade

A minha família não vai ver os filmes LGBTQ+

A minha família não verá os vossos filmes nem comprará os vossos produtos concebidos para promover a doutrinação LGBTQ+ e para corromper a inocência das crianças.


[Seu nome]

A minha família não vai ver os filmes LGBTQ+

A minha família não verá os vossos filmes nem comprará os vossos produtos concebidos para promover a doutrinação LGBTQ+ e para corromper a inocência das crianças.


[Seu nome]