A UNESCO QUER IMPLEMENTAR DOUTRINAÇÃO LGBT PARA CRIANÇAS EM TODO O MUNDO

PETIÇÃO DIRIGIDA À UNESCO

 

A UNESCO QUER IMPLEMENTAR DOUTRINAÇÃO LGBT PARA CRIANÇAS EM TODO O MUNDO

0200.000
  100.214
 
100.214 pessoas já assinaram esta petição. Ajude-nos a conseguir 200.000 assinaturas.

A UNESCO QUER IMPLEMENTAR DOUTRINAÇÃO LGBT PARA CRIANÇAS EM TODO O MUNDO

A UNESCO acaba de publicar um documento que estabelece mecanismos de doutrinação LGBT em todas as escolas do mundo, usando novamente como desculpa a violência e o bullying.

O informe fala em “homofobia” e “transfobia” nos colégios. Afirma também que a imposição de normas de vestimenta e de corte de cabelo supõem uma forma implícita de homofobia e transfobia”.

Alguns dados do informe:

  • 85% dos estudantes LGBT dos EUA sofrem violência e bullying.
  • 45% dos estudantes transgênero da Argentina abandonaram os estudos.
  • Os estudantes LGBT tiveram resultados acadêmicos ruins na Austrália, China, Dinamarca, El Salvador, Itália e Polônia.

Tudo isso de acordo com dados “pré-fabricados”, retirados de pesquisas feitas por organizações LGBT, como a ILGA (International lesbian, gay, bisexual, trans and intersex association). Até as fotos são cedidas pelo lobby gay de estudantes europeus.

O informe também promove a agenda de gênero, definindo este termo da seguinte maneira:

“Construção Social aprendida por meio do processo de socialização dos atributos e oportunidades associados a homens e mulheres.”

A definição é flagrantemente autocontraditória: se não podemos falar em “homem” ou “mulher”, já que são mera construção social, por que utilizar os conceitos numa definição que pretende negá-los?

O que o lobby LGBT propõe:

  • Uma educação “inclusiva e compreensiva” em relação às diferentes identidades sexuais e expressões de gênero “desde a mais tenra idade”.
  • Os conteúdos deverão ser livres de preconceitos e objetivos. Não poderão ser “inexatos nem estigmatizantes” e deverão ser transversais, ou seja, serão incluídos em todas as disciplinas.
  • A criação de uma campanha de sensibilização mundial e avaliará a evolução do programa.
  • Os países deverão incorporar essas propostas.

Mais uma vez podemos notar o caráter eufemístico do palavreado usado para apresentar o programa. Apesar de ser uma tática cada vez mais previsível, os revolucionários ainda precisam recorrer a ela, pois se não o fizerem ninguém lhes dará ouvidos. Precisam usar uma linguagem sentimentalista para tentar enganar as pessoas, pois o que querem realmente é doutrinar as crianças com uma “cosmovisão LGBT”.

O informe não menciona em nenhum momento o direito dos pais a educar seus filhos.

Assine a petição para enviar um e-mail à UNESCO manifestando sua discordância em relação ao programa. 

+ Letter to:

Assine esta petição agora!

 
Please enter your first name
Please enter your last name
Please enter your email
Please enter your country
Please enter your zip code
Por favor, escolha uma opção:
Procesamos seus dados pessoais de acordo com nossas Política de privacidade e nossos Termos de uso.Ao assinar você aceita os termos de uso da CitizenGO e sua política de privacidade, e aceita receber mensagens de e-mail sobre nossas campanhas. Você pode cancelar seu cadastro na lista a qualquer momento.

NÃO QUEREMOS QUE OS NOSSOS FILHOS SEJAM DOUTRINADOS

Soube dos conteúdos essenciais do informe “Out in the Open”, a respeito da violência nas escolas em todo o mundo. Naturalmente, não aprovo a violência nem o bullying.

Porém, essas práticas lamentáveis não podem ser utilizadas como pretexto para estabelecer um programa global de doutrinação das crianças na agenda LGBT, ignorando completamente a prerrogativa dos pais na educação dos seus filhos.

O informe mente ao dizer que a Convenção de Direitos da Criança fala de direitos de crianças LGBT. Há qualquer menção ao tema no documento.

Além disso, afirmar que gênero é uma “construção Social aprendida por meio do processo de socialização dos atributos e oportunidades associados a homens e mulheres” é uma flagrante contradição. Se não podemos falar em “homem” ou “mulher”, já que são mera construção social, por que utilizar os conceitos numa definição que pretende negá-los?

Essa proposta apenas gerará confusão nas cabeças das crianças. Não permitiremos que ela seja implantada.

Atenciosamente,
[Seu nome]

A UNESCO QUER IMPLEMENTAR DOUTRINAÇÃO LGBT PARA CRIANÇAS EM TODO O MUNDO

Assine esta petição agora!

0200.000
  100.214
 
100.214 pessoas já assinaram esta petição. Ajude-nos a conseguir 200.000 assinaturas.