As Urgências Obstétricas precisam de Nós!

Dirigido ao Primeiro Ministro e à Ministra da Saúde

 

As Urgências Obstétricas precisam de Nós!

As Urgências Obstétricas precisam de Nós!

08.000
  1.989
 
1.989 assinado. Vamos conseguir 8.000!

A situação das urgências obtétricas do Serviço Nacional de Saúde está cada vez mais grave e caótica. As mães estão a perder os seus bebés devido à ausência total de cuidados de saúde nas urgências, e a esquerda radical recusa-se a ceder às parcerias público-privadas. 

Desde de Junho que as urgências obstétricas estão a funcionar de forma intermitente por falta de médicos. Esta situação tem gerado consequências desasterosas, incluíndo morrerem bebés por nascer. 

O Serviço Nacional de saúde não está a ser capaz de dar resposta às necessidades dos utentes, e como tal o partido Chega propôs flexibilizar o regime jurídico das parcerias público-privadas para que as pessoas necessitadas de assistência médica urgente, pudessem dirigir-se aos hospitais privados. 

Para além das urgências obstétricas e de genecologia a funcionar de forma intermitentes, os exames e cirurgias também se encontram com muitos meses de atraso. 

Mesmo perante este cenário assustador em que a saúde se encontra em Portugal, a esquerda radical insiste em manter-se fiel às suas ideologias absurdas, e não permite que sejam realizadas parcerias público-privadas, o que tem vindo a atrasar muito a solução para este problema.

Mais uma vez, a esquerda radical demonstra que a vida não é uma prioridade, a prestação de cuidados de saúde não são uma prioridade, mas sim as suas ideologias.

As mulheres grávidas precisam de nós mais do que nunca para que lhes possa ser garantida a assistência médica e o apoio necessário. Não podemos permitir que continuem a perder os seus bebés porque os esquerdistas assim o querem!

Mais informações:

https://24.sapo.pt/atualidade/artigos/chega-propoeflexibilizar-regime-juridico-das-parcerias-publico-privadas-na-saude

https://www.jn.pt/local/noticias/santarem/santarem/gravida-perde-bebe-antes-de-chegar-ao-hospital-de-santarem-15054151.html

https://observador.pt/2022/07/28/gravida-percorre-100-quilometros-para-chegar-a-hospital-de-santarem-e-perde-bebe/

https://www.noticiasaominuto.com/pais/2045066/gravida-perde-bebe-a-caminho-do-hospital-nao-e-justo-diz-marcelo

08.000
  1.989
 
1.989 assinado. Vamos conseguir 8.000!

Complete your signature

Assine esta petição agora!

 
Please enter your email
Please enter your first name
Please enter your last name
Please enter your country
Please enter your zip code
Por favor, escolha uma opção:
Processamos a sua informação de acordo com a nossa política de Termos e Privacidade

Não vamos permitir que a esquerda radical continue a matar bebés

Caro Primeiro Ministro e Ministra da Saúde, 

As urgência de obstetrícia e genecologia não podem continuar a funcionar de forma intermitente. É inademissível que estejamos a assistir a esta situação quando existe uma solução à frente dos nossos olhos - flexibilizar as parcerias público-privadas. 

As mães estão a perder os seus bebés por falta de assistência médica, os exames e cirurgias de outros doentes estão com um enorme atraso. 

O dever do governo é zelar pela saúde pública e pela vida em primeiro lugar. É inacreditável que se sobreponham ideologias nesta altura. 

Por tudo isto, pedimos encarecidamente que tomem medidas imediatas para solucionar este grave problema. Não vamos permitir que a esquerda radical continue a matar bebés por nasecer!

[Seu nome]

Não vamos permitir que a esquerda radical continue a matar bebés

Caro Primeiro Ministro e Ministra da Saúde, 

As urgência de obstetrícia e genecologia não podem continuar a funcionar de forma intermitente. É inademissível que estejamos a assistir a esta situação quando existe uma solução à frente dos nossos olhos - flexibilizar as parcerias público-privadas. 

As mães estão a perder os seus bebés por falta de assistência médica, os exames e cirurgias de outros doentes estão com um enorme atraso. 

O dever do governo é zelar pela saúde pública e pela vida em primeiro lugar. É inacreditável que se sobreponham ideologias nesta altura. 

Por tudo isto, pedimos encarecidamente que tomem medidas imediatas para solucionar este grave problema. Não vamos permitir que a esquerda radical continue a matar bebés por nasecer!

[Seu nome]